Radar Ultras - Em todos os NBBs

Audrei disputou todas as edições do NBB [Stephen Eilert/Solar Cearense]

Um atleta que conhece como ninguém o Novo Basquete Brasil. Assim podemos descrever o escolta Audrei, reforço minastenista para a temporada 2017/2018. O jogador esteve presente em todas as nove edições do campeonato, tendo atuado por times do sul, do sudeste e do nordeste.

Audrei Parisotto, de 33 anos e 1.93m, é gaúcho de Santa Cruz do Sul. O atleta iniciou sua carreira no Corinthians, clube de sua cidade natal. Ainda na base chegou a Seleção Brasileira sub21, onde foi vice-campeão Sulamericano. Depois de uma pequena passagem por Vasco (RJ), São José (SP) e Ajax (GO), regressou ao seu estado para defender o Bira de Lajeado.

Foi na equipe do sul que o atleta disputou a primeira edição do Novo Basquete Brasil, na temporada 2008/2009. A boa performance de Audrei, com média de 16.8 pontos/jogo, despertou o interesse de Alberto Bial, então treinador do Joinville. Entre 2009/2012 o ala jogou três nacionais pela equipe catarinense.


Em 2012 o jogador desembarcou para sua primeira experiência em Minas Gerais, defendendo o Uberlândia. Na equipe do Triângulo Audrei alcançou sua melhor posição no NBB, sendo vice-campeão em 2012/2013. Após mais duas temporadas em Uberlândia o jogador reeditou sua parceria com Bial, chegando ao Basquete Cearense em 2015. O atleta permaneceu na franquia nordestina até a temporada passada.

Conhecido do professor - A trajetória de Audrei também é perpassada pelo contato com o atual técnico minastenista, Flávio Espiga. Primeiramente os dois foram companheiros de time em 2009/2010, quando defenderam o Joinville. Nos dois últimos anos Espiga, enquanto auxiliar técnico de Bial, trabalhou diretamente com Audrei no Ceará.

Na última temporada, disputando minutos na rotação com Duda Machado e Rashaun McLemore, Audrei teve sua menor participação em edições do NBB. Com 17.3 minutos por jogo (12 menos que sua média histórica), o jogador anotou médias de 4.6 pontos, 1.8 rebotes, 0.3 assistências e 0.5 roubos/jogo. Sua média histórica no NBB é de 11.5 pontos, 3.3 rebotes, 1.1 assistências e 0.8 recuperações.

Comentários