Radar Ultras - Rumo a BH?

Teichmann vestiu a camisa do Pinheiros no último NBB [Ricardo Bufolin/ECP]

O Minas busca um ala-pivô para o seu garrafão na temporada 2017/2018. O principal nome, com negociações avançadas em curso, foi garimpado pelo clube entre os semi-finalistas da última edição do Novo Basquete Brasil. Trata-se do experiente Guilherme Teichmann, que defendia as cores do Pinheiros. 

Guilherme Frantz Teichmann, catarinense de Concórdia, tem 34 anos e 2.04m. Além de sua atuação em quadra, é o atual presidente da Associação de Atletas Profissionais de Basquetebol (AAPB) e tem formação superior em Marketing e Administração, por Tulsa, quando atuou nos Estados Unidos.

Teichmann iniciou sua carreira de base no Corinthians de Santa Cruz, no Rio Grande do Sul, depois migrando para o Monte Líbano, de São Paulo. Ainda aos 17 anos, na temporada 2000/2001, estreou no adulto do Vasco da Gama (RJ). No ano seguinte buscou o exterior, defendendo por dois anos a SPC Texas (NJCAA) e a Tulsa Golden Hurricane (NCAA).

Formado, regressou ao Brasil para defender o Ajax (GO), na temporada 2005/2006 do Nacional da CBB. Entre 2006 e 2009 defendeu o Limeira, vivenciando a transição para o NBB. Nesse período ainda faturou o título dos Jogos Pan-Americanos de 2007 com a seleção brasileira. Na sequência, entre 2009 e 2012, vestiu as cores do Flamengo, onde alcançou um vice-campeonato nacional. Após um ano por Franca, 2012/2013, o atleta retornou ao Limeira para duas temporadas. Com o fim da franquia, migrou para o Rio Claro no NBB 8 e, na última temporada, atuou pelo Pinheiros, chegando a semi-final do nacional.


A chegada de Teichmann ao clube do Jardins se deu pelo encerramento de atividades de Rio Claro. Com isso o jogador encontrou concorrência no Pinheiros, atuando menos que na temporada anterior. Suas médias foram de 4.6 pontos, 5.1 rebotes, 2.1 assistências e 0.8 roubos, em 19.7 minutos/jogo.

O que esperar? O experiente ala-pivô tem um perfil de liderança nato, que transbordou das quadras e o levou a presidência da AAPB. Nas quatro linhas, caracterizou-se pelo baixo desperdício nos arremessos. Apesar de uma média histórica não tão alta, com 8 pontos/jogo, o atleta desde 2009 não teve nenhuma temporada inferior a 55% de aproveitamento nos arremessos.

Apesar de ter convivido com alguns lesões, Teichmann mostrou que sadio pode somar muito aos números de sua equipe. Titular do Rio Claro (2015/2016), alcançou as expressivas médias de 9.1 pontos (63.1%), 8.1 rebotes, 2.8 assistências e 1.5 recuperações. O jogador ainda esbanjou carisma no Jogo das Estrelas 2016, quando disputou o Torneio de Enterradas.

Comentários