Preparação - Defesa intensa

Espiga já comanda treinos no Minas para a temporada 2017/2018 [Orlando Bento/Minas]

Uma grande expectativa cerca o Minas para a temporada 2017/2018. Não apenas por um elenco reformulado, onde quatro atletas já foram contratados e outros estão por chegar. Há uma grande curiosidade, por toda a comunidade basqueteira, quanto a estreia de Flávio Espiga como treinador de uma equipe principal no Novo Basquete Brasil.

A trajetória enquanto atleta, auxiliar técnico e treinador de base, aponta para um traço importante de sua ótica quanto ao basquete: o poder da defesa. Nos tempos de jogador, inclusive com uma excelente passagem pelo Minas, Espiga era tido como um armador cerebral, causando impacto no ataque. Mas também sempre se destacou por uma grande disciplina tática, sendo um exímio ladrão de bolas - no 15º Campeonato Nacional da CBB, com a camisa minastenista, alcançou 2.2 roubos de bola/jogo.

Desde que decidiu-se pela prancheta, acompanhando Alberto Bial a partir de 2012, Espiga começou uma série de atividades de formação para técnicos. De cursos da Escola Nacional de Treinadores de Basquetebol à clínicas na Europa, o então aspirante a técnico foi aprimorando leituras e conceitos. 

Seu primeiro holofote enquanto treinador se deu como técnico do time sub22 do Basquete Cearense, na Liga de Desenvolvimento de Basquete 2014. Na campanha do título, conquistada de forma invicta (28-0), os cearenses tiveram justamente a melhor defesa do campeonato. Seus adversários alcançavam, em média, apenas 55.1 pontos/jogo.

Espiga e Bial exibem prêmio de Melhor Defesa do NBB 2015/2016 [LNB]

No adulto, enquanto assistente de Alberto Bial, participou da comissão técnica em boas campanhas do Basquete Cearense. Ao final da temporada 2015/2016, quando a equipe ficou com a quinta colocação do NBB, a franquia nordestina levou o prêmio de "Melhor Defesa" concedido pela Liga. Bial, na ocasião, fez questão de ressaltar que devia muito ao auxílio de Espiga, a quem descreveu como "um grande estudioso, trabalhador empenhado no estudo da preparação dos atletas."

E no Minas? Espiga já promove treinamentos com bola desde a última semana. O início de trabalho conta com sete atletas da equipe adulta somados aos jogadores da equipe sub20, que se preparam para a LDB 2017. "Nem todos os jogadores estão aí, mas os meninos mais jovens participaram, e é sempre bom para eles. Foi mais uma introdução. Mais para frente, vou começar a colocar alguns conceitos, a maneira que trabalho”, apontou o treinador ao site do clube.

Os jogadores parecem corroborar com a visão de ampla entrega defensiva. O escolta Audrei, que trabalhou com Espiga nas duas últimas temporadas no Basquete Cearense, ressaltou que "a torcida do Minas pode esperar uma intensidade muito grande. Tenho certeza que o time vai ter isso. Ele vai implantar isso na equipe, que vai ser muito intensa. Vai ter muita defesa, um time aguerrido".

A pretensão do atleta vai de encontro com a expectativa do ala-pivô Teichmann, que aponta que "pelo formato que o time tem sido montado, vai ser uma equipe bastante agressiva, que marca muito forte." Esse perfil também foi destacado por Gegê que, ao descrever seu estilo de jogo, afirmou que pode "deixar os torcedores do Minas tranquilos, porque força de vontade nunca vai faltar em quadra". Uma disposição compartilhada pelo ala Lelê, que oferece o seu jogo "com muita defesa, muita garra, porque nunca vai faltar isso, nunca vai faltar vontade".

O jovem pivô Wesley Castro, um dos três renovados da última temporada, também ressaltou a necessidade de uma ampla participação não apenas no ataque, mas também na defesa de seu garrafão. "Vou tentar acelerar a transição de ataque e também a transição para a defesa, que é de suma importância".

MAIS: Lelê: um ala promissor
Minas no Nike Elite NBB Camp
Big: Potência no Garrafão

Início dos treinamentos

Comentários