Especial - 10 anos da conquista do Sulamericano

Na volta a Belo Horizonte, equipe desfilou com o troféu [Divulgação/Minas]

Há exatamente 10 anos o basquetebol minastenista conquistava o título mais expressivo de sua história. No dia 04/11/2007 o Minas sagrava-se vencedor do Campeonato Sulamericano de Clubes Campeões no Distrito Federal. A 44ª edição do torneio, que reunia os principais clubes da América do Sul, teve como sede a cidade de Brasília. Além do Minas, os argentinos Peñarol de Mar del Plata e Boca Juniors, o venezuelano Duros de Lara, o paraguaio Deportivo San Jose, e os anfitriões Universo/Brasília participaram do torneio.

Logo na estreia o elenco minastenista, comandado pelo grandioso Flávio Davis Furtado, já encarava o então campeão argentino, o Boca Juniors. Uma performance brilhante do ala Evandro Soró, cestinha com 28 ptos, ajudou ao Minas em um passeio contra a equipe de Buenos Aires. O placar final apontou 100 a 72. No dia seguinte foi a vez de encarar o campeão brasileiro. Entretanto os donos da casa, o Universo/Brasília, levou a melhor e derrotou o esquadrão mineiro por 83 a 78.

Aquela seria a única derrota do Minas na competição. No dia seguinte, contra o Peñarol, a equipe mostrou que de fato brigava para surpreender a todos. Na épica batalha contra um dos mais tradicionais clubes argentinos, os minastenistas suaram a camisa para sair com a vitória. Comandados pelo trio Sucatzky, Mãozão e Soró, que combinaram para 80 pontos, o Minas bateu o forte adversário por 103 a 90.

Facundo Sucatzky foi o MVP do Torneio [Divulgação/CBB]

O duelo contra os paraguaios do San Jose foi bem mais tranquilo. O pivô Marcelo Mãozão anotou um duplo-duplo, registrando 25 pontos (com 100% nos arremessos) e 10 rebotes, levando o Minas a uma vitória soberana por 100 a 67. O triunfo deixava os minastenistas a uma vitória da conquista inédita.

Em uma tarde de domingo, enfrentando o Duros de Lara, time da elite venezuelana, o Minas entrava em quadra em busca do troféu. Liderando o placar do começo ao fim, a equipe minastenista abafou a festa armada para o jogo de encerramento do torneio, entre campeões argentinos e brasileiros. Com o triunfo, por 89 a 74, o Minas fechou a competição com 4 vitórias e 1 derrota - mesmo campanha do Boca Juniors, que levou desvantagem no confronto direto com os minastenistas.

O jornal argentino Diario de Mendoza destacou a proeza do Minas. O periódico afirmava que os brasileiros, convidados de última hora, "frustaram o sonho do argentino Boca Juniors de conquistar sua quarta coroa". O Boca, que havia ganhado as três últimas edições do Sulamericano, ficou com o seu primeiro vice.

Flávio Davis tem seu nome na história do basquete do Minas [Divulgação/Minas]

Flávio Davis, o mito - Maior treinador da história do clube na modalidade, Flávio Davis Furtado dirigiu a equipe principal do Minas por uma década. O título do Sulamericano o teve como comandante. Ao site do Minas, Flávio relembra que o que mais marcou na conquista "foi a surpresa de todos, porque nós surpreendemos um campeão argentino, um campeão venezuelano, um campeão argentino dirigido pelo Sergio Hernández, hoje técnico da seleção argentina. A equipe venezuelana era dirigida pelo Nestor Salazar, também técnico da seleção do país. Surpreendemos o Brasília, que era o time que tinha o maior investimento da época, e o Boca Juniors, que tinha um grande poder aquisitivo e jogadores da seleção argentina". A Ultras também ouviu o treinador, confira:


Sucatzky, um digno MVP - O armador argentino Facundo Sucatzky, certamente um dos maiores ídolos da história recente do Minas, apresentou um basquete de alto nível no torneio. Suas médias apontaram dois dígitos em dois fundamentos. Com cinco jogos disputados Facundo anotou 15.8 pontos e 11.6 assistências por jogo. Sua performance contra o Peñarol de Mar del Plata, com 29 pontos e 17 assistências, foi uma das mais impressionantes de todo campeonato. Fazendo justiça a essas marcas o jogador voltou para Belo Horizonte com o título de MVP do Sulamericano.

Revista do Minas de dezembro de 2007 fez especial do título [Reprodução/Minas]

A ida e vinda ianque - No jogo contra o Peñarol, o mais duro do Minas no torneio, um atleta adversário chamou a atenção. O ala norte-americano Jasper Johnson foi autor de 30 dos 90 pontos do time argentino na partida. Vendo o potencial do atleta, que teve médias de 17.6 pontos, 8 rebotes, 1.4 assistências e 0.8 tocos, Flávio Davis sugeriu a contratação do jogador. Poucas semanas depois Jasper já fazia parte do elenco do Minas que, nessa temporada, se sagraria campeão do International Tournament Haarlem Basketball Week (Amsterdã), seria semi-finalista do Nacional e chegaria ao Final Four da Liga das Américas. Já o pivô Sean Knitter, que fez parte do grupo minastenista campeão Sulamericano, foi dispensado da equipe após o retorno a Belo Horizonte, não tendo disputado nenhum outro jogo oficial pelo clube.

Elenco do Minas e médias por jogo:

4# - Mauro Savani (armador) - 2.3 ptos
5# - Marcelo Mãozão (pivô) - 16.6 ptos - 6.8 reb
6# - Facundo Sucatzky (armador) - 15.8 ptos - 11.6 ass
10# - Evandro Soró (ala) - 22.6 ptos - 2.4 reb
12# - André Luis (pivô) - 5.8 ptos - 4.6 reb
13# - Sean Knitter (pivô) - 4.0 ptos - 1.4 reb
15# - Luiz Felipe (armador) - 8.8 ptos - 2.8 ass
16# - Guilherme Hubner (pivô) - 1 pto - 1 reb
21# - Wanderson Camargos (ala) - 12.6 ptos - 3.8 reb
33# - Márcio dos Santos (ala) - 4.2 ptos - 2.2 reb
55# - Romário Souza (pivô) - 3 ptos - 1.5 reb

Técnico: Flávio Davis Furtado
Aux.: Raul Togni Filho

Campanha do Minas:

31/10/2007 - Minas 100 x 72 Boca Juniors (ARG)
01/11/2007 - Minas 78 x 83 Universo/Brasília (BRA)
02/11/2007 - Minas 103 x 90 Peñarol de Mar del Plata (ARG)
03/11/2007 - Minas 100 x 67 San Jose (PAR)
04/11/2007 - Minas 89 x 74 Duros de Lara (VEN)


MAIS:  NBB: Torcida Minas Storm
NBB: Tabela do Turno
NBB: Termômetro Ultras
Copa Avianca: Vice-campeão

Comentários

Postar um comentário