NBB 10 - Equilibrado!

Lelê anotou 14 pontos para o Minas na partida [Orlando Bento/Minas]

Enfrentando um momento difícil no Novo Basquete Brasil, vindo de derrota para o Campo Mourão, o Minas recebeu o Paulistano na noite dessa quinta (01). A equipe minastenista não teve um bom desempenho em janeiro, alcançando duas vitórias em sete jogos. Com isso chegava ao duelo de hoje na décima colocação, com campanha de 7-9. Já o Paulistano, atual campeão estadual, está em alta no NBB. A equipe vinha de 11 vitórias consecutivas, ocupando a vice-liderança com 13-3. Na última semana, porém, não teve êxito na Liga das Américas, sendo eliminado no Chile.

Para aumentar ainda mais a já complicada missão minastenista, o técnico Flávio Espiga ainda teve que lidar com um impacto extra-quadra, de última hora, em seu elenco. Na véspera da partida o ala Billy Rush recebeu uma suspensão por dois jogos do STJD e foi cortado do embate contra o CAP. A suspensão ainda é fruto da polêmica decisão do árbitro Jonas Pereira na partida contra o Flamengo, em dezembro. O Paulistano, por sua vez, vinha completo. No turno, jogando em São Paulo, o time da casa venceu por 93-86, em partida decidida apenas na prorrogação.

O esperado embate entre os armadores Elinho (CAP) e Gegê (Minas), respectivamente líderes em assistências do NBB, já começou intenso no primeiro quarto. Com o minastenista distribuindo incríveis 7 assistências em 8'39 minutos, a equipe da casa começou melhor, vencendo a parcial por 23-18. No segundo quarto, porém, os paulistanos conseguiram conter o ataque minastenista e, apostando nas bolas de três, tomaram a frente no marcador. Aos vestiários com vitória do Paulistano por 40-39.

Na volta do intervalo o combo Lelê+Roquemore funcionou muito bem. Combinando para 16 pontos, os atletas ajudaram o Minas a retomar a dianteira. A parcial ainda contou com a lesão do pivô Ryan Rhoomes, que fazia o seu melhor jogo com a camisa do Minas - então com 10 pontos e 5 rebotes. Ao final do terceiro quarto os minastenistas venciam por 63-62. O período derradeiro começou com uma intensa troca de lideranças no placar. Ao final, porém, brilhou a estrela do visitante Deryk Ramos que, com 12 pontos no período, levou o seu time para a vitória por 88-80 [18x23/ 22x16/ 22x24/ 26x17]. 

O armador minastenista Evan Roquemore foi o cestinha do time com 19 pontos. O ala-pivô Guilherme Teichmann foi o maior reboteiro do Minas, com 6 sobras cada. O armador Gegê Chaia bateu o seu recorde pessoal de assistências em um jogo, com 14 passes.

Desafio em prol do Instituto Mário Penna segue na Arena [Orlando Bento/Minas]

Desafio do Bem - O desafio converte os quilômetros pedalados em uma bicicleta ergométrica cedida pela Life Fitness, patrocinadora do basquete, na porcentagem da renda que será doada ao Instituto Mário Penna. A instituição, referência no tratamento de câncer em Belo Horizonte, vem nutrindo sólida parceria com a modalidade. Ao final do jogo, com 43km alcançados pela torcida, o Minas doou 43% da renda do jogo para o Instituto.

Torcida Minas Storm - A partida contou novamente com o resgate das camisas da promoção "Torcida Minas Storm". Os cem primeiros torcedores que chegaram na Arena, devidamente cadastrados no site do clube, receberam uma camisa na entrada do ginásio. Com ela, nas partidas seguintes, terão o acesso gratuito aos jogos - respeitando a capacidade do setor "Minas Storm", com 500 lugares. O cadastro da promoção segue disponível, com resgate após o carnaval, no jogo contra o Bauru, no dia 15/02.


Sequência - Com a derrota de hoje o Minas permanece na décima posição, com 7-10, tendo como perseguidor imediato o Vasco, com 6-12. 
A equipe agora pegará a estrada para dois jogos no sul do país. Na terça (06) enfrentará o Caxias, em jogo que marcará a estreia da nova casa dos gaúchos, o amplo ginásio do SESI. Já na quinta (08) vai encarar o Joinville em Santa Catarina.

MAIS:  NBB: Torcida Minas Storm
NBB: No aro
NBB: Começou
NBB: Na raça! 

Comentários